ebooks

Está a acontecer

Videoconferência do módulo 3

*Vídeoconferência com Google Hangout na modalidade on air (transmissão em direto), dia 9 de Dezembro, pelas 14:30h (GMT+ 0:00 Lisboa).

O Módulo 3 já se encontra disponível para consulta

É chegada a altura de colocar o nosso conhecimento em prática, vamos dar iniciar ao módulo 3 – Publicar,  disponível em https://ebooksmooc.wordpress.com/modulo-3/

Vídeo de Apresentação do Módulo 2 – Tornar Acessível

Transcrição textual hiperligada do vídeo de apresentação do módulo 2

Aviso: O vídeo de apresentação do módulo 2 foi recortado da apresentação pública da Rede TIC e Sociedade da FCT que decorreu no passado dia 29 de outubro no Instituto Politécnico de Santarém.

Para obviar às dificuldades com o som, o vídeo encontra-se legendado (ative a legenda no botão CC do leitor do Youtube) e com transcrição textual hiperligada, que disponibilizamos na caixa abaixo. Pode inclusivamente revisitar diretamente um qualquer excerto do vídeo, pressionando numa das palavras da transcrição abaixo. Encontra igualmente o ficheiro com os diapositivos exibidos na apresentação nos conteúdos disponíveis abaixo. saltar transcrição.

Caixa de transcrição do vídeo.

0:07 e-books

0:09 Conhecer, Tornar Acessível, Publicar

0:11 (Margarida Ribeiro da Fundação para a Ciência e a Tecnologia)

0:15 Como a Dra. Ana Neves também referiu, este primeiro MOOC será disseminado também no Brasil.

0:21 Nomeadamente pela UAITEC que é a Universidade Aberta Integrada de Minas Gerais,

0:28 também no âmbito desta colaboração, que nós pretendemos que os conteúdos estejam abertos

0:33 o mais possível para envolver também países com expressão e língua portuguesa.

0:41 (Isabel Barros Dias da Universidade Aberta)

0:47 É interessante também perceber que o Mooc depois de ser leccionado ficará disponível online.

0:51 Portanto, uma pessoa que neste momento não tenha a possibilidade de participar e de dispôr de

0:57 muito tempo, em qualquer altura pode revisitá-lo, tirar dúvidas, aprofundar, e ler aquela bibliografia

1:04 que ficou por ler e assim continuar a construir o seu conhecimento, para além destas três semanas.

1:11 (Jorge Fernandes da Fundação para a Ciência e a Tecnologia)

1:13 Ora bem, eu vou então começar, uma vez que há aqui um contratempo, parece que a minha máquina não ligou ao projetor.

1:22 Eu fui responsável, mais a minha colega Cláudia Cardoso, pelo Módulo 2.

1:28 Relativamente ao MOOC – como construir um e-book, o princípio base é:

1:34 todo o livro que nasce digital, deve nascer acessível.

1:39 Isso é algo, que hoje em dia é, em termos de acessibilidade, importante. O módulo 2 é sobre

1:44 acessibilidade para cidadãos com necessidades especiais;

1:49 que utilizam tecnologias de apoio.

1:55 O módulo está dividido em três grandes partes.

2:08 Uma componente em que mostra qual é o potencial dos livros eletrónicos para pessoas com necessidades especiais.

2:17 Ao passo que, no caso de pessoas que não têm problemas no acesso ao livro impresso,

2:24 o e-book é mais uma forma, redundante, de aceder ao mesmo, há um conjunto vasto

2:29 de cidadãos para quem o livro eletrónico não se apresenta como uma forma redundante,

2:36 mas como a única hipótese de fazer leitura de um livro. E há inclusivamente hoje em dia

2:43 já um conjunto vastissimo de cidadãos que estudaram porque existe a componente tecnológica.

2:50 Porque existe informação digital.

2:56 O módulo passa também por uma componente de um conteúdo para vários acessos.

3:02 Como é que um conteúdo serve vários tipos de necessidades. Aborda cinco regras básicas de acessibilidade,

3:09 e depois uma reflexão sobre aquilo que é um dos formatos mais utilizados, dentro da área

3:18 das necessidades especiais, que é o DAISY. Mais à frente vamos ver mais em concreto o que é que isto significa.

3:26 Em termos de potencial, temos aqui dados dos Censos de 2011, que nos dizem que

3:35 18% da população portuguesa tem alguns problemas em termos da realização de atividades diárias.

3:46 Como poderemos ver a incidência em termos médios é de 18%.

3:51 Relembro que os dados dos Censos de 2001, falavam na ordem de 10%. O paradigma atualmente mudou.

3:59 O INE (Instituto Nacional de Estatística) atualmente já utiliza a Classificação Internacional

4:05 das Funcionalidades, o que fez disparar aquele número para aquela ordem de grandeza dos 18%.

4:12 O impacto daquela incidência para pessoas com mais de 65 anos situa-se na ordem dos 50%.

4:20 Como sabem a população está a envelhecer, ou seja, aquelas barras azuis vão ter tendência de se concentrar

4:27 mais no lado direito, o que significa que, à partida, a incidência também irá aumentar.

4:36 Estamos a falar de dificuldades para ver, dificuldades para ouvir, dificuldades ao nível cognitivo,

4:46 dificuldades ao nível motor. Se pegarmos neste gráfico que aqui se encontra,

4:52 seguramente, 50% deles, reportam problemas com interação ou informação.

5:05 Ao nível de um conteúdo para vários acessos, quando se fala num livro acessível,

5:12 é usual as pessoas pensarem em ampliação de caracteres, pensarem que o livro vai ter

5:18 que ter uma forma qualquer de narração, ou seja ser lido, ter língua gestual…

5:25 No entanto, há um conjunto já vasto hoje em dia de transformações possíveis

5:33 graças às tecnologias de apoio. Nomeadamente as tecnologias que estão do lado do utilizador.

5:40 Hoje, aquilo que nós temos que fazer – não se preocupem que não vamos partir para

5:47 uma complexidade de fazer diversos conteúdos –

5:52 vamos partir apenas para um conteúdo. Um conteúdo que se transforma depois em braille.

5:58 Temos ali no canto superior direito uma criança com um dispositivo braille.

6:06 É possível hoje em dia, ligar a um tablet como este que tenho aqui na mão e fazer a conversão automática para braille.

6:15 É possível fazer a ampliação de caracteres. Ela depende da própria máquina, e não é o conteúdo que se amplia.

6:26 É a própria máquina que pega no conteúdo e faz essa transformação.

6:31 É óbvio que é necessário seguir algumas regras para que todas estas transformações sejam feitas.

6:40 E é aqui que nós entramos. Como chamamos no nosso módulo, as cinco regras básicas de acessibilidade.

6:48 Não vou entrar aqui em pormenor agora. Apenas referir que estão ligadas a três elementos que geralmente

6:58 aparecem em qualquer livro. É o caso dos cabeçalhos. É o caso dos parágrafos. É o caso das imagens.

7:07 Não vou entrar aqui em pormenores, para tal terão que se inscrever no MOOC,

7:14 para saber como é que isto se resolve – quais são os problemas que se levantam nestas três grandes áreas.

7:23 Em termos de atividades, nós fornecemos depois um ficheiro base, que vai vos servir de matriz para incorporarem

7:33 essas cinco regras. O nosso módulo irá durar cerca de uma semana, portanto será uma regra por dia a ser trabalhada.

7:44 E no final enviem-nos esse resultado para nós podermos discuti-lo, durante a nossa sessão.

7:56 Como já foi dito, nós damos sempre algumas dicas sobre algo para refletir e para vocês próprios

8:08 poderem ir mais além. Neste caso, no módulo 2, nós referenciamos o caso do DAISY,

8:17 Digital Accessible Information System, que é um formato usado, já, pelo menos, há 20 anos

8:26 a esta parte. Começou por transformar aquilo que eram as cassetes em áudio para pessoas cegas.

8:35 Em 1994, surgiram as primeiras versões digitais dessas cassetes de noventa minutos.

8:47 Transformação para formato digital, e que permitia por exemplo fazer a pesquisa de informação dentro do próprio áudio.

9:01 Ou seja, é possível hoje em dia fazer uma pesquisa dentro do próprio áudio, e ele [o sistema] posicionar-se na faixa,

9:08 exatamente onde a palavra foi referenciada, coisa que era impossível fazer numa cassete de noventa minutos.

9:15 É, assim, possível passar de capítulo em capítulo, de secção em secção, de página em página. Tudo isso graças à área do digital.

9:26 Reparem que estamos a falar com vinte anos de diferença, isto foi há vinte anos atrás que esta

9:32 revolução aconteceu e praticamente só hoje em dia é que o próprio mercado começa a introduzir estas

9:42 funcionalidades no digital que hoje em dia temos à nossa disposição.

9:50 As vantagens do DAISY, eu já referi algumas. Em termos da estrutura, em termos da riqueza do próprio

9:58 documento. Ele permite efetivamente uma panóplia de operações que era impossível de efetuar com o formato analógico.

10:11 Só para vocês terem uma ideia, recentemente, isto já em 2012, os grandes fabricantes começaram a incorporar

10:19 a norma DAISY dentro dos formatos ePub, nomeadamente para a área da matemática, onde é

10:27 hoje já é possível fazer a escrita e a leitura da matemática dentro dos livros eletrónicos.

10:37 Por isso, espero por vocês no módulo e que se divirtam. Obrigado.

Videoconferência do Módulo 1_Conhecer

Módulo 1_Conhecer já disponível - O módulo 1_Conhecer já está disponível para consulta, amanhã terá inicio pelas 14:30h (GMT+ 0:00 Lisboa) a videoconferência (Hangout em direto) com Maria Potes Barbas do I.P. de Santarém e Isabel Barros da Universidade Aberta.

Inscrições para o MOOC e-books

De 28 de outubro a  24 de Dezembro

Atenção: alteração das datas publicadas no vídeo, confirme aqui as datas

Notificações do MOOC: Todas as notificações de contacto serão feitas por Ricardo Pinto <ricardoj.m.pinto@gmail.com>, após a sua inscrição.

Anúncios

26 thoughts on “Está a acontecer

  1. Olá a todos! Parabéns pela organização do curso. Vi a videoconferência que funcionou muito bem e todos os documentos que disponibilizaram são muito interessantes e de fácil compreensão e leitura, pois não são muito extensos. Apenas ainda não consegui aceder ao documento “Produção de conteúdos acessíveis”. Fiz o download e instalação da ferramenta “Calibre” e chego até à janela que identifica o produto e tem o link “clicar para abrir” mas depois aparecem três ficheiros e nem com o menu “abrir” consigo efetivamente abrir o documento. Poderão dar uma ajuda? Obrigada

    1. Olá Fernanda, para importar o e-book “Produção de conteúdos acessíveis” para o Calibre, utilize a opção adicionar livros (a partir de uma pasta), o documento passa a estar na biblioteca, clique com o botão direito do rato e selecione a opção “ver”.

      1. Olá Ricardo! Já consegui! Muito obrigada!
        Gosto muito da orgânica do curso e de adquirir conhecimentos nesta área. Acessibilidade, dinamismo, interatividade são características que tornam os e-books muito apelativos sobretudo junto das comunidades mais jovens, francamente mais sensíveis às novas tecnologias do que ao cheiro e toque das páginas dos livros impressos que folheiam.
        Sou membro da equipa de uma biblioteca escolar e penso que é muito importante conhecermos novos métodos e ferramentas que possam estimular o gosto pela leitura (e pela escrita!), facilitar o acesso a novas publicações e, sobretudo, que contribuam para enraizar o hábito de partilhar, refletir e discutir pois é uma excelente forma de progredirmos no conhecimento.
        Bom trabalho para todos!

      2. Obrigado, Fernanda! Entraremos em pormenor no software Calibre e-Book no módulo 3, é uma ferramenta com imenso potencial na gestão de uma biblioteca virtual com destaque na matéria de taxonomia em formato digital – metadados. Continuação de um bom trabalho.

  2. Em meados da década de 1970, o estadunidense Michael Hart lançou o Projeto Gutenberg, que tornou possível a disponibilização de livros eletrônicos pela internet. É uma pena que a maioria das editoras continue cobrando altos valores pelos livros, ainda que virtuais. Se os livros fossem mais baratos e os autores contassem com uma plataforma como essa para comercializar seus exemplares, talvez o conhecimento se disseminasse com mais força pelo mundo, além de incentivar a escrita por parte de todos que detém algum tipo de mensagem.

  3. Olá a todos. Antes de mais, gostaria de felicitar toda a equipa pela excelente iniciativa. E pela dedicação a uma temática tão importante nos dias de hoje. A questão da acessibilidade à web, seja em sites, e-books e outras aplicações multimedia, é algo que me é muito importante e considero que quaisquer iniciativas neste sentido são muito bem vindas e muito importantes para sensibilizar “quem faz”. Pois julgo que um dos maiores constrangimentos na aplicação da acessibilidade é a incompreensão das reais necessidades do público-alvo por parte de “quem faz”.
    Posto isto, venho contactá-los para saber se continuarão a facultar apoio após o curso, na resolução de dúvidas e nas actividades propostas?
    Isto porque, com muita pena minha, foi-me completamente impossível (por questões de excesso de trabalho nesta fase e também problemas de saúde e apoio à família) dar o seguimento que queria ao curso. Consegui ler o material dos módulos 1 e 2 mas já não consegui participar nas actividades nem tão pouco iniciar o módulo 3.
    Assim, gostaria de saber se há apoio após o curso ou se eventualmente já prevêem a realização do curso noutras datas?
    Continuação de um bom trabalho. Grata.

    1. Olá Alice! Obrigado pelas suas simpáticas palavras de incentivo a este projeto. Apesar das datas anunciadas do MOOC, relembro que este é um formato que permite a consulta dos materiais em qualquer altura de acordo com a sua disponibilidade. Em relação a futuros projetos futuros estamos a equacionar essa possibilidade, claro que iremos entrar em contacto com os participantes deste primeiro MOOC para juntos decidirmos novos temas de aprendizagem.

Qual é a sua dúvida?

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s